Domingo
15 de Julho de 2018 - 
Tirando suas dúvidas jurídicas, fazendo valer seus direitos.

Notícias

Em nona edição em 2018, “Conexão Direta” faz audiência publica em Canguaretama

A comarca de Canguaretama recebeu, na sexta-feira (13), uma nova edição do projeto Conexão Direta, na qual foi realizada audiência pública para ouvir membros da comunidade local a respeito dos serviços fornecidos pela Corregedoria Geral e pelo Tribunal de Justiça. Estiveram presentes, compondo a mesa do evento, a corredora geral de Justiça, desembargadora Zeneide Bezerra; a juíza da comarca de Canguaretama, Daniela Cosmo; a presidente da Câmara dos Vereadores Wilinhene Silva; o promotor de justiça Edísio Neto; o advogado Glaydson Soares, representando OAB; e o defensor público Thiago Arruda, além de outras autoridades locais. Na abertura da audiência pública, a juíza Daniela Cosmo, diretora do foro da comarca, destacou que o Conexão Direta é uma oportunidade "para colher sugestões para o aprimoramento das atividades prestadas pelo judiciário, permitindo a participação da população da sede da comarca e também dos termos de Baía Formosa e Vila Flor". Em seguida a desembargadora Zeneide Bezerra explicou brevemente o funcionamento da Corregedoria, bem como dados sobre os resultados alcançados pelo conexão direta durante o ano passado. Na sequência, foi disponibilizada a palavra para os presentes para fazerem questionamentos e observações. A advogada Mariana Gelson perguntou sobre a previsão para construção do novo fórum de Canguaretama, o qual já possui terreno doado, destinado para essa finalidade. Em resposta, a desembargadora Zeneide informou que de acordo com o do setor Planejamento do TJRN houve falha na documentação apresentada ao Tribunal para este procedimento, de modo que esta obra não está a prevista para ocorrer neste ano. Ela acrescentou que, mesmo com a alegação da procuradoria do município de Canguaretama de que a documentação fornecida estaria correta, é necessário que "as autoridades municipais se organizem e compareçam ao tribunal em busca de uma solução da adequada e ágil para essa dificuldade". O notário de Baía Formosa, Felipe Maux, elogiou o trabalho desempenhado por esta gestão da Corregedoria do TJRN, especialmente na agilidade de respostas às consultas formais feitas por tabeliães e cartórios. Felipe Maux disse também que está compilando os pareceres e consultas feitas à corregedoria para publicar e distribuir entre os colegas e demais serviços de registros públicos do estado. A vereadora de Canguaretama, Adriana Albuquerque, ressaltou o crescimento da criminalidade nos últimos anos em Canguaretama. "Estamos perdendo nossos jovens e crianças em razão da violência e do tráfico de drogas", afirmou. Em seguida alertou para necessidade de "atrair os jovens e suas famílias para dentro das instituições de ensino, desde que elas estejam de portas abertas, fornecendo ensino de qualidade e com atividades constantes”. O padre da paróquia, José Neto, parabenizou o trabalho da corregedoria pelos casamentos comunitários que são de grande serventia para população local e fez críticas relacionadas à segurança, “a sociedade como um todo se torna vítima de uma educação deficitária e da falta de condições materiais que são geradoras da violência". Ele asseverou ainda que “Justiça e Educação devem andar lado a lado para alcançar a pacificação social".
16/04/2018 (00:00)

Ambiente interno

Acompanhe seu processo

Webmail

Atualize-se por email

© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  57046