Quinta-feira
25 de Abril de 2019 - 
Tirando suas dúvidas jurídicas, fazendo valer seus direitos.

Notícias

Servidores do Departamento de Recursos Materiais fazem visitas técnicas ao TJPE e TRF5

Servidores do Departamento de Recurso Materiais (DRM) do Tribunal de Justiça do RN realizaram visitas técnicas aos departamentos congêneres do TJ de Pernambuco (Coordenação de Almoxarifado e Patrimônio) e do Tribunal Regional Federal da 5ª Região para conhecer o funcionamento dos setores nesses tribunais. Segundo a chefe de Divisão de Compras, servidora Camila Macedo, as visitas tiveram por objetivo “conhecer e analisar as ações e estratégias de cada órgão, tomando como referência a busca por ideias para melhorar nossos procedimentos”. Os membros da equipe do TJRN salientaram que o contato foi bastante proveitoso. “Nos deu a noção do quanto nosso Departamento está bem posicionado na sistemática de operação interna”, afirmou Camila. A chefe de Divisão de Compras ressalta que o Departamento de Recurso Materiais continuará voltado para aumento da eficiência e ganho de produtividade, bem como “controle do seu estoque de bens de consumo e permanente, pleiteando futura utilização de tecnologias avançadas”. Capacitação As visitas ocorreram em paralelo a participação dos servidores em um curso sobre gestão integrada de almoxarifado e patrimônio público, promovido pela Esafi - Escola de Administração e Treinamento, em Recife (PE). Camila Macedo, chefe de Divisão de Compras, destacou a visão atualizada apresentada durante o curso, que tratou de “conceitos de administração de materiais à luz da legislação vigente”, inclusive com reflexos na escrituração contábil, adequada a uma gestão célere e eficaz. Foram apresentadas boas práticas e inovações pertinentes a essa área, como o controle de bens e itens utilizando a tecnologia RFID, identificação por rádio frequência, a qual já é utilizada por algumas instituições. Essa tecnologia facilita o monitoramento do acervo e funciona como alternativa aos códigos de barras, pois permitem a identificação do produto de alguma distância do scanner ou independente, fora de posicionamento. Nesses casos são usados etiquetas ou chips para transmitir a informação por meio de indução, sendo muito usado, por exemplo, no supervisionamento de animais ou em pedágios do tipo “sem parar”. Camila Macedo, ressaltou que essa técnica pode vir a ser usada em “nossos bens permanentes, possibilitando o seu monitoramento desde a sua incorporação até o ponto final da sua distribuição, otimizando, inclusive, o inventário desses bens de forma totalmente precisa”. Também participaram da capacitação os servidores Bernardo Cavalcanti (chefe de Seção de Compras) e Estevam Júnior (chefe de Seção de Inventário Patrimonial); e da Corregedoria Geral de Justiça, Karine Symonir e Rodrigo Damasceno.
10/04/2019 (00:00)

Ambiente interno

Acompanhe seu processo

Webmail

Atualize-se por email

© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  67783